Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Salada de funcho e toranja

por Paula, em 22.04.15

IMG_9711.JPG

Com a chegada do bom tempo, começamos a pensar em comidas mais leves que nos ajudem a manter a linha e a sentirmo-nos bem. Pois aqui estão boas notícias: um dos ingredientes desta salada é muito útil na digestão de gorduras, ajudando no controlo da obesidade e do peso. Nós por cá não o utilizamos muito, mas quem o prova fica a gostar. Tem um sabor anisado e pode ser consumido cru ou cozinhado: fica ao gosto do comensal! Refiro-me ao funcho, um tubérculo rico em cálcio, magnésio, fósforo, sódio, ácido fólico, vitamina C, potássio e fitoestragénios. Só coisas boas que não devemos dispensar.

IMG_9713.JPG

 

INGREDIENTES

1 bolbo de funcho bem arredondado

2 toranjas

1 c. de chá de açúcar amarelo

2 c. de sopa de vinagre balsâmico

1 c. de café de tabasco

2 c. de sopa de mel

1 c. de sopa de azeite virgem extra

Sal e pimenta a gosto

 

PREPARAÇÃO

Retirar a primeira folha do funcho, lavar e cortar em fatias. Retirar a casca de uma toranja, tendo o cuidado de retirar a parte branca. Cortar em fatias e polvilhar com um pouco de açúcar. Dispor o funcho e a toranja num prato de servir.

 

De seguida, espremer a outra toranja e coar o sumo. Levar ao lume e deixar que reduza para metade. Deixar arrefecer.

 

Finalmente, adicionar o mel, o vinagre, o azeite, o tabasco, o sal, a pimenta e o azeite ao sumo da toranja e emulsionar com a ajuda da varinha mágica para que fique bem misturado. Rectificar temperos, se necessário, e temperar a salada.

IMG_9718.JPG

Para se consumirem crus, devem escolher-se os bolbos mais arredondados que têm um sabor mais doce e são mais tenros, sendo melhores que os mais aguçados que têm uma textura mais fibrosa e são menos doces.

 

Então, consegui captar a vossa atenção para a confecção desta salada colorida e fresca?

 

Bom apetite!

Que bos faga bun purbeito!

 

 

Música: "No One", by Alicia Keys

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

IMG_8296.JPG

Os dias correm frios, não deixando o Inverno a sua identidade por mãos alheias. Solta-se o vento norte, varrendo as ruas na sua viagem nocturna, acompanhado da fria geada. Um par tão infalível quanto a estação que os acolhe!

 

Nesta cordilheira de dias frios, ressoa o clamor pela lareira e pelos pratos quentes, divididos entre família e amigos. Nada mais se deseja do que o simples e caloroso convívio em torno da mesa, com aqueles de quem gostamos.

IMG_2939.jpg

INGREDIENTES:

2 embalagens de massa quebrada

1 kg de maçãs

1 limão

1 morcela

1 cebola, picada

3 c. de sopa de azeite

Óleo q.b.

250 ml de vinho do Porto branco

3 c. de sopa de mel (rosmaninho)

2 cravinhos

2 c. de sopa de manteiga

Canela moída q.b.

Noz-moscada (ralada na hora) q.b.

 

PREPARAÇÃO:

Ligar o forno a 180.º .

 

Untar um tabuleiro de formas para empadas (ou formas individuais) com um pouco de óleo (com a ajuda de papel de cozinha, para não deixar óleo a mais).

 

Cortar metade da quantidade de maçãs em pequenos cubos e regar com sumo de limão para não oxidar. De seguida, colocar o azeite numa caçarola, juntar a cebola e deixar refogar cerca de 10 minutos. Se necessário ir adicionando colheres de sopa de água para não deixar queimar.

 

Entretanto, retirar a tripa da morcela e, com ajuda de um garfo, desfazê-la. Reservar.

 

Adicionar as maçãs cortadas em cubos à cebola e deixar cozinhar cerca de 5 minutos.

 

É então altura de adicionar a morcela. Deixar cozinhar cerca de 3 minutos e envolver bem no preparado. Reservar.

 

Cortar a massa com um cortador circular (uma chávena também serve) com duas medidas diferentes: uma para a base e outra para a tampa da empada. Dispor as bases no tabuleiro das formas e rechear com o preparado da morcela. De seguida, colocar a tampa e fechar, pressionando a massa (pode utilizar um ovo batido e pincelar, para ser mais fácil). Levar ao forno cerca de 15 a 20 minutos, até a massa ficar cozida.

 

Cortar as restantes maçãs em rodelas e regar com sumo de limão. Numa sertã, colocar a manteiga. Quando esta tiver derretido, adicionar as maçãs e polvilhar com canela e noz-moscada a gosto. Saltear durante dois a três minutos.

 

Finalmente, preparar a calda. Para o efeito, levar um tacho ao lume com o vinho do Porto, o mel e o cravinho. Deixar levantar fervura e engrossar ligeiramente. Deixar arrefecer um pouco antes de servir com as empadas, rodeadas das fatias de maçãs e regadas com esta maravilhosa calda.

IMG_2938.jpg

O sabor da maçã torna a o gosto da morcela mais leve. Quando regada com a calda, eleva-se então a outro patamar onde o paladar descobre sabores leves e simultaneamente ricos. É uma entrada que resulta muito bem e que cria alguma expectativa quanto ao resto dos elementos que comporão a eventual ementa.

IMG_2941.jpg

 

Bom apetite!

Que bos faga bun purbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Requeijão com pêssego e lavanda

por Paula, em 24.04.14

 

Requeijão com pêssego e lavanda

 

A lavanda não é muito consensual no que à cozinha diz respeito. O seu aroma é um dos meus favoritos, mas tem estado sempre associado ao ambiente de casa ou à estética. A sua utilização na culinária ainda não tinha tido o seu tempo de antena no meu petit bistro.

 

Há uns bons meses, comprei um pacote para fazer uma panacotta. Todavia, quando me deparei com esta receita na revista El Mueble tive vontade de arriscar e fazê-la para o aniversário do meu pai. A parte boa é que consegui adoptá-la ao regime da diabetes; a menos simpática é que a maioria não apreciou o aroma e o sabor da lavanda na comida. Como gostei, aqui deixo a receita para os mais audazes.

 

 

Requeijão com pêssego e lavanda

 

INGREDIENTES

 

3 pêssegos (ou uma lata de pêssego em calda)

120g de requeijão

4 c. de sopa de mel

1 c. de chá de lavanda para uso culinário

Sumo de ½ limão

1 c. de sopa de açúcar

 

PREPARAÇÃO

Começar por lavar e tirar a pela aos pêssegos e cortá-los em rodelas. Polvilhar com açúcar e regar com o sumo de limão.

 

De seguida, começar a empratar. Para o efeito, colocar um aro de metal sobre o prato de servir e colocar camadas alternadas de pêssego e requeijão.

 

Depois, levar o mel e a lavanda ao lume até ganhar temperatura e os sabores se fundirem. Retirar e regar os pastéis de requeijão e pêssego. Deixar arrefecer e servir.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de amêndoa e mel

por Paula, em 09.03.14

Bolo de amêndoa e mel

 

A indulgência de um bolo caseiro, utilizando ingredientes saudáveis como o mel e a amêndoa, constitui um mimo dos deuses.

 

INGREDIENTES

 

150g de manteiga sem sal (e mais um pouco para untar a forma ou, em substituição, spray vegetal)

115g de açúcar mascavado claro ou amarelo

175g de mel líquido (ou, em substituição, xarope de ácer)

1 c. de sopa de sumo de limão

2 ovos batidos

200g de farinha de trigo com fermento

20g de amêndoas laminadas (ou a gosto)

 

PREPARAÇÃO

Aquecer previamente o forno a 180ºC. Untar uma forma redonda com 20 cm de diâmetro (pode usar o tamanho que tiver em casa).

 

Colocar a manteiga, o açúcar, o mel e o sumo de limão numa caçarola e levar ao lume (médio), sem deixar ferver, até derreter e ficar cremoso.

 

Retirar a caçarola do lume e rapidamente juntar os ovos batidos, utilizando uma colher de pau.

 

Peneirar a farinha, juntar ao preparado anterior e envolver com uma colher de metal.

 

Deitar o preparado na forma e de seguida colocar as amêndoas laminadas na superfície da massa.

 

Levar ao forno, já aquecido, durante 35 a 40 minutos. Fazer o teste do palito. Deixar arrefecer na forma cerca de 15 minutos antes de desenformar e colocar numa rede até ficar frio.

 

Posteriormente, pincelar com mel morno, para glacear. Este passo é opcional.

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)


O meu bolo da Consoada

por Paula, em 29.12.12

 

 

O Natal, por aqui, foi marcado pela alegria possível. O ano que está prestes a findar não foi fácil. Fica marcado como um dos piores anos desta família. Já tivemos outros, é certo, mas os acontecimentos que marcaram o ano de 2012 foram inesperados e trágicos. Por isso, reunimo-nos envoltos na esperança de conseguirmos passar uma noite feliz, não tanto pelos adultos, mas pelas crianças que precisavam de um momento descontraído e alegre. Mais uma vez, a cada um coube a tarefa de cozinhar alguma coisa e até os petizes ajudaram.

 

Alguns enfeites de Natal foram feitos pela mana do meio e pela sobrinha mais velha. Reciclaram e deram nova vida a invólucros que, noutras ocasiões, teriam ido para o lixo. Inovaram, ao fazerem anjinhos, pais natal e pregadeiras que serviram para decorar as árvores de Natal e para ofertar a amigos e família. Ficaram lindos e fizeram sucesso. Ficamos à espera de mais novidades. :-)

 

 

Onde moro, ainda existe a tradição de se trocarem doces de Natal. As filhoses que vieram para a nossa mesa, foram-nos gentilmente ofertadas por uns vizinhos que têm raízes açorianas. Estavam absolutamente fantásticas. Creio que foram as melhores que comi até hoje. Em troca, ofereci um bolo igual a este. Trata-se de uma versão minha do famoso "Bolo da Consoada". Este é coberto com maçapão e geleia que, aqui, não usei. Alterei algumas quantidades e acrescentei os pinhões. Ficou muito bom e todos (vizinhos e familiares) gostaram, o que me deixou feliz.

 

INGREDIENTES

160 g de manteiga

260 g de açúcar

3 ovos

1 c. de sopa de mel

Raspa de 1 limão

1 c. de sopa de canela

160 g de farinha

1 c. de sopa de fermento

200 g de passas

100 g de frutas cristalizadas em pedaços

30 g de pinhões

Açúcar em pó q.b.

 

 

PREPARAÇÃO

  1. Ligar o forno a 180.º C.
  2. Bater a manteiga com o açúcar até obter um creme leve e fofo.
  3. Adicionar os ovos inteiros, um a um, batendo entre cada adição.
  4. Acrescentar o mel, a raspa de limão e a canela.
  5. Peneirar a farinha e o fermento e envolver no preparado anterior.
  6. Triturar as passas e adicionar, juntamente com os pinhões e a fruta cristalizada, à massa.
  7. Untar e enfarinhar uma forma redonda.
  8. Colocar a massa na forma e levar ao forno durante 30 a 45 minutos (dependendo do forno).
  9. Deixar arrefecer numa rede. Empratar e polvilhar com açúcar em pó.

 

 

É simples, delicioso e tem uma textura muito agardável. Não é fácil comer só uma fatia, mesmo na noite da Consoada em que a mesa se apresenta repleta de diversas tentações.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.painatal}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D