Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Sumo de beterraba e laranja

por Paula, em 08.06.13

 

- São os dias que sorriem, senhor! Veja como as flores agradecem! - dizia Paulina num tom tão meigo que fazia o mais descrente pensar que as flores se deixavam seduzir pela luz do sol radioso que teimava em desaparecer por dias.

 

- Paulina, quase me fazes acreditar que sim, rapariga. Que jeito danado tens tu para convencer os outros. Herdaste essa meiguice da tua mãe, bem sei, mas a ela de pouco lhe valeu, infelizmente... - respondeu Santiago, baixando os olhos e apoiando-se na bengala que trazia apenas para companhia. 

 

Era homem dos seus setenta anos. Via naquela rapariga outra que fizera parte dos seus sonhos de juventude. Bem podia ser sua filha, mas quisera o destino que Alice se embeiçasse por um viajante de pouca palavra que aparecera lá pela terra. Todos os dias, por volta das dez horas, o velho Santiago sentava-se no jardim que rodeava a igreja. Havia anos que o ritual se repetia, fizesse chuva ou sol. Ninguém compreendia e, ao início, ainda se metiam com ele por causa das raparigas. Mas, ao fim de uns meses, a brincadeira cessou, pois já todos percebiam quem o Santiago esperava. Metia dó vê-lo ali, cheio de esperança, à espera do amor que partira num lindo dia Junho atrás de ilusões.

 

- Deixe lá isso, senhor Santiago. Olhe o que lhe trago! Lembrei-me que hoje gostasse de ter companhia. Espero que o sumo seja do seu agrado. Depois, vamos comer uma malga de sopa bem quentinha. Os dias sorriem-nos, senhor Santiago! Os dias sorriem-nos!

O velho respondeu com um gole e um aceno, desejando que assim fosse, e feliz por aquela pequena, que podia ser sua filha, ficar ali a seu lado, sonhando com ele.  

 

 

INGREDIENTES

(Serve 2)

 

 1/2 beterraba cozida e fatiada

1 cenoura cortada às rodelas

1 laranja separada em gomos

1 maçã fatiada

1 c. de sopa de mel

200 ml de água (pode ser Água das Pedras) fresca

 

PREPARAÇÃO

Colocar os frutos no liquificador e adicionar o mel e a água. Mexer muito bem, utilizando a velocidade 1.

Depois de os frutos estarem reduzidos a puré, passar para velocidade 2 para a mistura ganhar uma consitência mais cremosa. Servir imediatemente.

 

 

Também se pode utilizar a beterraba crua, mas o sabor fica mais intenso.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyet!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Compota de laranja e abóbora

por Paula, em 06.05.13

 

O tempo é de laranjeiras em flor na maior parte do país. Nalgumas regiões, contudo, as laranjeiras ainda apresentam os seus frutos esplendorosos porque o tempo ainda não as fez florir. Mas será por pouco tempo.

 

Arrecadam-se os últimas laranjas que se apanham com o desejo de prolongar o seu aroma até ao Verão. Desejam-se naturais, em pratos típicos, em bolos ou compotas. De qualquer maneira, enfim, desde que mantenham o aroma cítrico e revigorante.

 

Para fazer compotas, é necessário ter em conta a quantidade de açúcar. Mais ou menos quantidade significa, respectivamente, maior ou menor prazo de conservação. Normalmente, aplica-se a regra de uma parte de fruta para uma parte de açúcar, isto é, emprega-se para, por exemplo, 500 g de fruta a mesma quantidade de açúcar (500 g).

 

É, ainda, necessário ter em conta o índice de acidez da fruta que se utiliza. Esta contribui para reforçar o sabor da fruta e para espessar a compota. Por isso, no caso de se utilizar fruta com fraca acidez, deverá empregar-se um pouco de sumo de limão.

 

O uso de especiarias é também um factor a ter em conta, já que irão reforçar e acentuar o sabor da fruta. A canela liga bem com maçã, ameixa e cereja. O anis também condiz com a ameixa e o mirtilo, ao passo que o cravinho gosta de acompanhar a pera, a maçã, a ameixa e a ameixa amarela. Já o gengibre fica bem com a gelatina de limão, laranja e ananás. A erva-cidreira, com um sabor ligeiramente cítrico, pode combinar com maçã, limão e groselha.

 

 

INGREDIENTES

 

500 g de abóbora, pesada, descascada e limpa

300 g de rodelas de laranja, com o sumo

1 pedaço de casca de laranja

10 g de gengibre fresco

400 g de açúcar amarelo

1 cl de Grand Marnier (ou outro licor de laranja)

 

PREPARAÇÃO

 

Ralar finamente a polpa da abóbora e deitá-la numa panela.

Juntar as rodelas e a casca de laranja.

Adicionar o gengibre ralado e o açúcar. Deixar repousar durante 30 minutos.

 

Levar ao lume médio durante 5 minutos e mexer de vez em quando. Retirar a casca de laranja e adicionar o licor.

 

Tendo ainda a compota quente, encher frascos previamente esterilizados - lavar na máquina de lavar loiça e antes da utilização colocar numa panela em água quente, utilizando pinças de borracha para não estalar o vidro com a diferença de temperatura, e deixar ferver por vinte minutos; retirar e colocar sobre um pano limpo de algodão grosso e deixar escorrer com a boca para baixo - e depois fechar. Virar com a tampa para baixo para ganhar vácuo e deixar repousar cerca de 30 minutos. Guardar no frigorífico. Se optar por colocar mais quantidade de açúcar poderá guardar em lugar fresco e seco por mais tempo.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mousse de Laranja

por Paula, em 28.12.12

 

 

Não podia passar o Natal sem utilizar laranjas. É fundamental tê-las na mesa nesta época. Adoro o aroma fresco e cítrico que fica na cozinha quando as descasco e as uso num prato qualquer. São um bálsamo culinário.

 

Optei por fazer uma mousse que há muito desejava experimentar e adorei o resultado - uma sobremesa doce com um ligeiro travo ácido muito agradável. As raspas que se vão encontrando tornam-na ainda mais interessante.

 

 

 

 INGREDIENTES

230 g de açúcar

8 gemas de ovo

4 claras de ovo

Sumo de 2 laranjas grandes

Raspa de 1/2 laranja

Água q.b.

 

PREPARAÇÃO

  1. Deitar o açúcar num tacho, cobrir com água e deixar ferver até atingir o ponto espadana. Retirar e deixar amornar.
  2. Bater bem as gemas e juntar ao açúcar.
  3. Adicionar a raspa e o sumo das laranjas e levar novamente ao lume, mexendo sempre, até o preparado querer levantar fervura. Retirar e deixar arrefecer.
  4. Bater as claras em castelo e adicionar lentamente e sem bater o preparado anterior a estas.
  5. Colocar numa taça de servir e deixar a repousar no frigorífico de um dia para o outro.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.painatal}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de laranja com glacé

por Paula, em 18.12.12

 

 

O Natal está à porta e a vibração com os afazeres culinários começa a tomar conta de muitos lares. É a época da família, do convívio em torno da mesa e das tradições gastronómicas em ambiente de fraternidade, amizade e amor. Para mim, é isto que significa o Natal mas, também, o que caracteriza a culinária. Não consigo pensar em cozinha dissociada da amizade e do amor, ou seja, dos afetos.

 

As laranjas, ácidas, ainda, caem diariamente da laranjeira plantada no quintal que, carregada, não aguenta todos os seus frutos. Não resisti ao seu perfume fresco e decidi adocicar o meu domingo com um bolo de laranja húmido, fofo, fresco e absolutamente delicioso.

 

 

INGREDIENTES

250 g de manteiga sem sal

250 g de açúcar

4 ovos

Tiras finas da casca de uma laranja + 1 c. de sopa de sumo

250 g de farinha fina

2 c. de chá de fermento

Manteiga e farinha para untar a forma ou gordura vegetal em spray

Para o glacé:

100 g de açúcar em pó

3 c. de sopa de sumo de laranja

PREPARAÇÃO

  1. Aquecer o forno a 175.º C.
  2. Escaldar a laranja, secá-la e ralá-la no ralador de cenouras.
  3. Bater a manteiga com o açúcar até obter um creme branco.
  4. Juntar os ovos um a um e mexer.
  5. Adicionar as tiras da casca de laranja e o sumo.
  6. Peneirar a farinha com o fermento e juntar, aos poucos, ao preparado anterior.
  7. Deitar o preparado numa forma previamente untada e levar ao forno durante 40 minutos.
  8. Fazer o teste do palito, retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer numa rede.
  9. Preparar o glacé misturando o açúcar com o sumo de laranja e deitar sobre o bolo empratado e arrefecido.

 

 

Este bolo, para além de saboroso e leve, é económico. O glacé lembra os dias frios de inverno. Pede para fazer parte da mesa de Natal.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

                       

{#emotions_dlg.painatal}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D