Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Peito de frango recheado

por Paula, em 26.04.15

IMG_9763.JPG

Uma das afirmações que ouço com alguma regularidade, no que concerne a carne frango, é a de que não apreciam a parte do peito por ser muita seca. Ao contrário desta corrente, eu prefiro esta parte à suculenta “pernoca” da referida ave.

 

Uma forma de tornar o peito de frango mais apetecível é recheá-lo. Por isso,  sugiro um peito de frango recheado com um saboroso queijo-creme com alho e ervas aromáticas. Sem margem para dúvidas: de-li-ci-o-so!

 

IMG_9766.JPG

 

INGREDIENTES

2 peitos de frango

150 g de queijo-creme com alho e ervas aromáticas*

Sal e pimenta a gosto

1 rodela de gengibre fresco, ralado

Espargos q.b.

Azeite q.b.

 

PREPARAÇÃO

Aquecer o forno a 200.ºC.

 

Abrir os peitos de frango ao meio, com a ajuda de uma faca. Temperar com o sal, a pimenta e o gengibre. Rechear com o queijo-creme e fechar com a ajuda de uns palitos.

 

Dispor em travessa forrada com papel vegetal e regar com um pouco de azeite ou manteiga.

 

Cobrir a travessa com papel de alumínio e levar ao forno durante 30 minutos. Ao fim desse tempo, retirar o papel de alumínio e deixar que a carne aloure.

 

Servir com espargos cozidos em vapor e arroz negro.

IMG_9770.JPG

 

* Pode fazer o seu próprio queijo-creme, juntando o queijo, alho e ervas aromáticas a gosto, mexendo tudo muito bem.

 

Bom apetite!

Que bos faga bun purbeito!

 

 

Música: "The days of wine and roses", by Laverne Butler

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cestos de ovo

por Paula, em 31.01.15

Paris.jpg

Croque-madame é uma variação da croque-monsieur. Esta é uma sandes feita com pão, presunto e queijo, grelhada numa frigideira ou no forno. Pensa-se que terá aparecido em 1910 num bistrot parisiense. Já a croque-madame é uma versão daquela sandes que leva um ovo por cima.

_MG_8603.JPG

Inspirada por Rachel Khoo, a apresentadora do belíssimo programa My Little French Kitchen, que passa no canal 24Kitchen, que fez uma versão muito original e esteticamente muito apelativa da croque-madame, decidi fazer uns cestos de ovo. Não posso chamá-los de “croque-madame à moda de Rachel Khoo” porque utilizei sobras de frango assado no forno. Todavia, o espírito é o mesmo. J’adore!

_MG_8606.JPG

 

INGREDIENTES (para 6 unidades)

6 fatias de pão integral, sem côdea (estilo Bimbo)

100 g de manteiga, derretida ou líquida

6 ovos

100 ml de natas frescas

Sobras de frango q.b. (ou outra carne), desfiadas

Sal e pimenta a gosto

Cebolinho fresco ou poejo q.b.

 

PREAPARAÇÃO

Aquecer o forno a 180.ºC.

 

Com a ajuda de um rolo de massa, espalme as fatias de pão até ficarem bem finas. De seguida, pincelar com manteiga de ambos os lados. Colocar cada uma das fatias em formas anti-aderentes para queques, de modo a formar um pequeno cesto.

 

Cobrir o fundo do cesto com o frango. Adicionar 1 colher de sopa de natas e cobrir com o ovo. Temperar com um pouco de sal e pimenta e finalizar com cebolinho ou poejo fresco.

 

Levar ao forno durante cerca de 15 minutos ou até o ovo apresentar a consistência desejada.

_MG_8610.JPG

Estes cestos são versáteis. Tanto se podem comer ao pequeno-almoço como ao lanche ou numa das principais refeições, acompanhados com uma salada ou legumes salteados.

_MG_8597.JPG

Bom apetite!

Que bos faga bun purbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Frango com amêndoas

por Paula, em 28.05.14

 

O comboio errado pode levar-nos à estação certa, assim como a lancheira errada nos pode conduzir à pessoa certa. Pode reconciliar duas pessoas com a vida e levá-las numa viagem de (re)descoberta de si mesmas. Uma lancheira pode conter muitos aromas e sabores agradáveis, daqueles que fazem sorrir, viajar e sonhar. Pode, ainda, conter um bilhete para a felicidade ou para uma vida nova. O poder da comida é imenso, mas só toca aqueles que a respeitam.

 

Capa do filma

Créditos da imagem: Medeia Filmes

 

Ila Vaid (Nimrat Kaur), é uma mulher jovem, casada, que tenta combater a indiferença do marido cozinhando pratos deliciosos, inspirados no livro de culinária da sua avó, que seguem no “correio das lancheiras” (Dabawallahs) para o local de trabalho daquele. Ao fim do dia, espera ansiosamente pela sua reacção ao prato ou ao novo ingrediente que a tia, que vive no andar de cima, lhe vai enviando através de uma cesta pendurada na janela. É a sua conselheira e confidente.

 

Créditos das imagens: Medeia Filmes

 

A Lancheira (Dabba), que regressava sempre com uma boa parte do seu recheio, chega, certo dia, vazia. Esperançada, Ila arranja-se para o marido. Perante a mesma indiferença, insiste em saber se a comida lhe agradara. Descobre então que a sua merenda foi parar às mãos de outra pessoa. Decide, a conselho da tia, escrever ao bom garfo que tinha apreciado a sua refeição. A partir daqui, iniciam-se trocas diárias de bilhetes (em papel!) que vão transformar a sua vida que passa a ser temperada pelas críticas à comida que prepara, levando-a a cozinhar ainda com mais gosto.

 

Saajan Fernandes (Irrfan Khan), um contabilista à beira da reforma que vive sozinho, é o destinatário da marmita que Ila prepara. A sua alma será tocada pelos maravilhosos aromas e pelas estórias que lhe vão chegando. É ao sabor dos pratos preparados por Ila que Fernandes desperta novamente para a vida.

 

 

A estória, de uma simplicidade desconcertante, realizada por Ritesh Batra, cativa logo no primeiro momento, transportando o espectador para outra dimensão, sendo que chama atenção para algumas questões sociais relevantes. A banda sonora, essa, entra no ouvido e leva-nos até à Índia. Foi uma noite de cinema que me deixou de alma cheia.

 

 

 

 

FRANGO COM AMÊNDOAS TORRADAS E CUSCUZ DE HORTELÃ

 

Frango com cuscuz e amêndoas torradas

 

INGREDIENTES

 

100g de amêndoas com casca

1 frango cortado em pedaços

Sal e pimenta q.b.

Sumo e raspa de ½ limão

 

2 cebolas roxas cortadas em rodelas

2 dentes de alho picados

1 estrela de anis

1 pau de canela

1 c. de chá de sementes de coentros

1 c. de chá de gengibre em pó

1 c. de sopa de gengibre fresco ralado

1 c. de café de açúcar

80 ml de vinho moscatel

80 ml de água quente

 

Para o cuscuz

1 chávena de cuscuz

1 chávena de água

1 noz de manteiga

Sal q.b.

 

Para o vinagrete

Sal e pimenta q.b.

Azeite q.b.

Sumo de limão q.b.

1 c. de chá de mostarda

1 pitada de açúcar

2 pés de hortelã (só as folhas)

 

PREPARAÇÃO

 

Aquecer o forno a 180.ºC, colocar as amêndoas num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno durante 10 minutos. Depois de arrefecidas, coloca-las num pano e esfregar por forma a soltarem a pele. Cortar as amêndoas grosseiramente e reservar.

 

Temperar o frango com sal, pimenta, gengibre em pó e o sumo de limão. Reservar cerca de 30 minutos. De seguida, numa caçarola larga de cerâmica, colocar o frango com a pele para baixo e deixar cozinhar na própria gordura. Quando estiver bem dourado, virar e deixar que termine de cozinhar. Retirar o frango e reservar.

 

Deitar as cebolas, os alhos, o gengibre ralado, a estrela de anis, a canela e as sementes de coentros na caçarola e deixar cozinhar até caramelizarem. Adicionar o vinho e deixar reduzir.

Juntar novamente o frango, para ganhar um pouco do sabor do refogado e retirar novamente. Depois, juntar a água e deixar apurar um pouco. Rectificar o tempero e reduzir o refogado a um molho espesso com a ajuda da varinha mágica. Passar o molho por passador e colocar numa molheira para servir.

 

Entretanto, aquecer água para fazer o cuscuz. Deitar o cuscuz num recipiente e cobrir com a água quente. Deixar cozinhar por cinco minutos.

 

Noutro recipiente, colocar os ingredientes do vinagrete e emulsionar com a varinha mágica. Rectificar os temperos e deitar cerca de três colheres de sopa sobre o cuscuz, juntamente com a manteiga. Envolver tudo com a ajuda de um garfo e servir.

 

Servir o frango com o cuscuz, as amêndoas e o molho.

 

Bom apetite!

Que bos faga bun porbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Salada de frango e tomate assado1

 

Toca o telefone. Do outro lado perguntam-me se estou a ver o canal 1 da RTP. Respondo que não. Pedem-me para ligar o televisor. Estava a passar o programa da Laurinda Alves, Portugueses pelo Mundo, e desta vez a cidade escolhida era Budapeste.

 

Através do programa, revivi os meus dias por aquelas ruas. Reconheci lugares, apontamentos históricos e até me veio à memória o ambiente do livro que terminei há uns dias, do Chico Buarque, e que tem o nome da capital húngara. Apeteceu-me voltar e correr os lugares que não tive oportunidade de visitar e que fazem apenas parte do meu imaginário, como as zonas vinícolas demarcadas. No fim, sorri ao pensar na salada que comi num crepúsculo de Outono, no pátio do Castelo, de frente para a Ponte das Correntes.

 

Tomate assado 3

Tomate assado 1

 

INGREDIENTES

 (Serve 6)

 

12 filetes de frango

10 folhas de manjericão

10 folhas de hortelã-pimenta

½ c. de açúcar

6 tomates

1 ramo de espargos, arranjados

8 cogumelos

1 c. de chá de azeite

1 c. de sopa de margarina

150 g de folhas de canónigos

2 mangas, partidas aos cubos

Sal e pimenta q.b.

 

Para o molho

2 c. de chá de mel

2 c. de sopa de vinagre

2 c. de sopa de molho de soja

1 c. de chá de mostarda

Gengibre fresco, picado ou em pó q.b.

2 dentes de alho, picados

2 c. de sopa de sumo de limão

2 c. de sopa de azeite

Sal e pimenta q.b.

 

PREPARAÇÃO

  1. Preparar a marinada juntando todos os ingredientes para o molho num recipiente e mexer muito bem até obter uma consistência cremosa.
  2. Colocar o frango a marinar em 125 ml do molho durante 30 minutos. Reservar o restante molho.
  3. Pré-aquecer o forno a 160.º C.
  4. Cortar o tomate em gomos e temperar com manjericão, hortelã-pimenta, sal, pimenta, e açúcar. Levar ao forno por 5 ou 10 minutos.
  5. Numa frigideira de cerâmica, colocar o azeite e a margarina e adicionar os cogumelos arranjados e fatiados até estarem cozinhados. Retirar e reservar.
  6. Entretanto, colocar os filetes de frango e alourar no azeite, em lume forte, durante 2 ou 3 minutos. Juntar novamente os cogumelos e deixar cozinhar por mais 1 minuto.
  7. Arranjar os espargos e cozinhá-los a vapor até estarem tenros. Assustar (ou arrefecer, i.e., passar por água fria para interromper o processo de cozedura).
  8. Lavar e escorrer os canónigos e colocar numa saladeira funda. Juntar os espargos, os tomates, a manga, os cogumelos e os filetes de frango em fatias generosas. Adicionar o molho e servir.

 

 

Se existe paraíso, na ementa consta esta salada. Colorida, vibrante e absolutamente deliciosa.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Asinhas de frango com cerveja

por Paula, em 10.07.13

 

 

Asas de frango com cerveja 1

 

O calor intenso que se faz sentir pede pratos leves e descomplicados para serem apreciados, se possível, com uma bebida fresca e em boa companhia.

 

Em Espanha, chamam-lhe tapas; em Portugal, são petiscos. Certo é que, em ambos os países, estas asas de frango são uma forma de reunir com os amigos e de comer algo leve enquanto se conversa sem compromissos de tempo.   

 

Aas de frango com cerveja 2

 

INGREDIENTES

 

12 asas de frango

350 ml de cerveja (reservar 2 c. de sopa)

Sal q.b.

Pimenta q.b.

1 ½ c. de chá de tomilho seco

1 folha de louro

2 c. de sopa de azeite

 

PREPARAÇÃO

  1. Lavar as asas de frango e secá-las em papel absorvente.
  2. Preparar uma marinada com cerveja (reservando 2 c. de sopa), sal, pimenta, 1 c. de chá de tomilho seco e o louro.
  3. Cobrir as asas de frango com a marinada e reservar por cerca de 2 horas, tendo o cuidado de as voltar de vez em quando.
  4. Misturar as 2 c. de sopa de cerveja com ½ c. de chá de tomilho e o azeite. Misturar bem.
  5. Ligar o grelhador do forno.
  6. Escorrer as asas de frango e voltar a secá-las em papel absorvente. Colocá-las num tabuleiro e pincelá-las com a mistura do azeite. Levar ao grelhador do forno durante 5 minutos até ficarem bem tostadas. Virá-las e deixar grelhar por mais cinco minutos.

 

Asas de frango com cerveja 3

 

Ficam deliciosas e podem ser feitas para levar para um piquenique.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

A vida é um instante, dizia Óscar Niemeyer. A vida é um instante, murmuro, na certeza de que esta verdade tão absoluta nos escapa na correria dos dias. A vida é um instante, reforço, tentando gravá-la na minha mente. A vida é um instante que deve ser aproveitada com alegria e serenidade entre pratos coloridos partilhados com amigos e família.

 

O Natal proporciona a magia destes momentos mais do que outra época do ano. Neste colorido natalício, talvez seja bom reforçar esta ideia de que o que importa é a vida. Em última instância, o que importa são as pessoas e os momentos bem vividos. O melhor que damos e recebemos vai e vem daqueles a quem nos dedicamos por amor ou por amizade e a cozinha é o livro mágico onde tudo isto acontece.

 

 

 

INGREDIENTES

(Serve 2)

4 peitos de frango

1 queijo de cabra

50 g de coentros

50 ml de vinho do Porto branco ou moscatel

250 g de framboesas

Sumo de 1/2 limão

2 c. de sopa de azeite

1 c. de sopa de manteiga

Sal q.b.

Pimenta q.b.

 

PREPARAÇÃO

  1. Triturar o queijo juntamente com os coentros na picadora. Reservar.
  2. Abrir os peitos de frango ao meio. Bater com o martelo de modo a torná-los mais finos.
  3. Temperar com sal e sumo de limão e deixar a marinar durante 15 minutos.
  4. Estender os peitos de frango abertos e cobrir com a mistura de queijo e coentros. Enrolar e fechar com um palito.
  5. Colocar o azeite e a manteiga numa sertã e juntar o frango recheado e, nessa altura, temperar com pimenta preta moída no momento. Deixar cozinhar 5 a 6 minutos de cada lado até ficar dourado. Retirar e reservar.
  6. Juntar o vinho ao azeite restante (depois de limpo) e deixar ferver durante 1 minuto. Juntar as framboesas e deixar ferver durante 3 minutos até o vinho evaporar.
  7. Empratar e cobrir o frango com o molho. Servir com puré de batata e salada de agrião bebé.

 

 

As framboesas tinham como destino um bolo de chocolate, mas no meu subconsciente estava gravada a vontade de experimentar uma receita deste livro. O resultado acabou por ser a fusão de várias receitas que resultou bem.

 

O frango fica delicioso e o molho de framboesa confere-lhe efetivamente um toque muito especial. Sem este, seria apenas mais uma forma de cozinhar o frango.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

                      

{#emotions_dlg.painatal}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Frango com Caril

por Paula, em 26.11.12

 

 

Frango com Caril

 

Já dizia a Minnie, no filme "As Serviçais", que o frango é o remédio para todos os males. Traz conforto, é saudável e adapta-se a todas as ocasiões. Pode ser de aviário - o menos recomendado - ou do campo. Distingue-se da galinha pelo tempo de criação. Ao fim de dois meses, o frango (do campo) está pronto a ser utilizado. A galinha, por sua vez, já pôs ovos e conta com 12 a 15 meses de criação. A distinção faz-se facilmente pela cor e textura da carne. O primeiro é tenro e de cor mais clara; a segunda tem uma carne escura, mais dura e fibrosa.

 

O caril está associado à cozinha indiana e asiática. De cor intensa e apelativa, este consiste numa mistura de pimenta, malagueta, coentros, cominhos, açúcar de cana e curcuma (também conhecido por açafrão-da-índia).

 

A inspiração para a sugestão de hoje veio do caril. Procurava uma receita que me deixasse feliz. Ao vasculhar a minha estante de livros, encontrei um dedicado exclusivamente ao frango. E lá estava, no "Receitas Simples & Rápidas" (frango), da Euro Impala, aquela que me agradou. Tomando em conta os ingredientes existentes na despensa, adaptei-a e fiquei muito feliz com o resultado.

 

Frango com Caril

 

INGREDIENTES

(Serve 4)

1 frango 

1 cebola

1 dente de alho

0,5 dl de azeite

1 lata de coco em conserva (utilizei leite de coco) 

300 g de miolo de camarão

1 c. de sopa de caril em pó

2 dl de natas

1 ramo de coentros (não usei)

300 g de arroz

Sal e pimenta q.b.

 

 

PREPARAÇÃO

1 - Arranjar o frango e cortá-lo em pedaços. Temperar com sal e pimenta.

2 - Cortar e picar a cebola finamente, assim como o alho. Corar em azeite.

3 - Juntar o frango e deixar cozinhar durante 10 minutos.

4 - Juntar o leite de coco, o miolo de camarão e o caril.

5 - Adicionar as natas. Envolver tudo muito bem.

6 - Rectificar o tempero e salpicar com os coentros picados.

7 - Servir com arroz branco cozido em água e sal.

 

Nesta receita, substituí o coco cortado em juliana por leite de coco e não utilizei os coentros. De todo o modo, a receita resultou muito bem. O molho ficou cremoso, sem ser em exagero, saboroso e o prato exalava um aroma cativante a caril que me transportou para outra dimensão geográfica.

 

Quanto ao livro, consiste numa boa opção. O preço é muito convidativo, mesmo para as bolsas mais modestas, não ocupa muito espaço na estante ou na cozinha e acaba por ser uma fonte de inspiração muito digna.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.beja}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Canja de galinha

por Paula, em 17.06.11

 

A canja de galinha é um prato a que recorro muitas vezes. Até mesmo no Verão. Gosto daquele caldo simples em que a carne de galinha (não de frango) se revela no seu máximo e me envolve num calmo e relaxante momento de felicidade degustativa. Enceto naquele momento uma viagem ao meu mundo inventado onde o conforto e a paz são soberanos. Eis o poder de um simples caldo.

 

Há uns dias arranjei uma galinha com a preciosa ajuda da minha mãe. Embora estivesse destinada a ir para o forno, a meio do percurso o desejo de uma canja quente, aromática e saborosa falou mais alto. E foi assim que uma galinha poedeira e os seus ovos lindos e ricos acabaram por fazer parte do meu caldo de eleição.

 

 

  

INGREDIENTES:

  • 1 galinha sem pele e com as miudezas
  • 2 cenouras
  • sal q.b.
  • 150 g de massa de pevides ou couscous (bolinhas)
  • 1L de água mais o suficiente para cobrir a galinha aquando da cozedura
  • 1/2 lima ou limão ou gengibre
  • folhas frescas de hotelã

 

PREPARAÇÃO:

  1. Retire a pele à galinha e coloque-a na panela de pressão juntamente com as miuedezas (excpeto os ovos), cubra-a com água suficiente para cozer e tempere com sal. Deixe ferver por vinte minutos.
  2. Retire a galinha e desfie em pedaços.
  3. Coloque o caldo da cozedura da galinha numa panela e junte mais 1 L de água.
  4. Coloque os pedaços da galinha, as cenouras finamente cortadas em rodelas e deixe ferver por cinco minutos.
  5. Junte a massa e os ovos e (se for o caso) o gengibre ralado a gosto.
  6. Deixe cozer a massa. Verifique o tempero e no fim adicione folhas frescas de hortelã.
  7. Ao servir, se não utilizou o gengibre, coloque umas gotas de lima ou de limão e junte mais duas folhas de hortelã para decorar.

 

Esta canja fica fresca e saborosa. A acidez da lima, do limão ou do gengibre conferem-lhe uma frescura que combina muito bem com o sabor mais intenso do caldo de galinha tornando-o mais leve. Não colide de forma alguma com o sabor da hortelã. Talvez por isso esteja também presente na minha mesa nos dias mais quentes, contrariando a ideia de que estes caldos só casam bem com os dias frios e chuvosos de Inverno.

 

Bom apetite!

{#emotions_dlg.guarda}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Um jantar ligeiro

por Paula, em 15.03.11

No fim-de-semana anterior combinei um jantar em minha casa com a minha amiga Sandra. 

A ementa tinha que ser pouco calórica porque a minha amiga está a fazer dieta.

Por isso, durante a semana deixei tudo pensado, mas continuava indecisa quanto à sobremesa. Resolvi procurar uma receita na internet. Encontrei uma que adaptei porque achei que ligaria muito bem com o resto do jantar e era pouco calórica (mas já não consigo encontrar o sítio de onde retirei a ideia).

Eis o que escolhi para o jantar com a minha amiga:

  • Entrada: queijo mozzarella com tomate cereja e manjericão, regado com molho de azeite, vinagre balsâmico, sementes de mostarda, sal e açúcar; e cubos de queijo com cebolinho, pimenta, pimentos e ervas aromáticas.

  • Sopa: de azedas, abóbora, cenoura e algas marinhas.
  • Prato:frango com yougurte natural, mel e limão acompanhado com arroz basmati e salada de alface (do meu quintal), tomate cereja, palmito e nozes.
  • Sobremesa: abacaxi com yougurte de baunilha, côco ralado e erva cidreira fresca.

 

 

  • Vinho: Periquita tinto 2007.

 

Foi um excelente serão. Fomos para a cozinha e juntas preparámos o jantar com tempo e calma. Não havia pressas, não obstante o facto de a fome já nos acompanhar desde a saída do teatro que antecedeu este jantar. Dividimos as tarefas e entretemo-nos a cozinhar, a conversar e a apreciar o que ia ficando preparado.

 

Frango com yougurte e mel

Ingredientes:

1 frango

1 yougurte natural

1 colher de chá mel

Sementes de sésamo

Sumo de 1/2 limão

Sal e pimenta preta

 

Confecção:

Ligue o forno para os 180.º.

Parta o frango em pedaços e retire-lhe a pele.

Coloque-o num recipiente de loiça que possa ir ao forno e tempere com sal, pimenta e o sumo de limão.

Noutro recipiente coloque o yougurte (com o soro) e o mel e misture bem.

Barre os pedaços de frango com esta mistura e leve ao forno, forrado com papel de alumínio, durante trinta minutos.

Passado este tempo, verifique a cozedura do frango e retire o papel de alumínio.

Polvilhe o frango com as sementes de sésamo e deixe a cozinhar durante mais 10 minutos.

Retire e sirva acompanhado de uma salada e arroz aromático.

 

 

Abacaxi com yougurte de baunilha (para 2 pessoas)

Ingredientes:

2 rodelas de abacaxi

1 yougurte de baunilha

Côco ralado q.b.

Folhas frescas de erva cidreira

 

Confecção:

Corte as rodelas do abacaxi em pedaços e reduza-as a puré na picadora.

Divida o puré por duas taças de sobremesa.

Coloque uma camada fina de côco ralado e sobreponha com o yougurte de baunilha.

Finalize com mais uma camada de côco e com as folhas de erva cidreira inteiras ou picadas.

 

Esta sobremesa não é muito doce e é saudável, pelo que é aconselhável a qualquer pessoa. A surpresa aqui resultou da perfeita harmonia da cidreira com os restantes elementos.

 

Bom apetite!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D