Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bolo de amêndoa e mel

por Paula, em 09.03.14

Bolo de amêndoa e mel

 

A indulgência de um bolo caseiro, utilizando ingredientes saudáveis como o mel e a amêndoa, constitui um mimo dos deuses.

 

INGREDIENTES

 

150g de manteiga sem sal (e mais um pouco para untar a forma ou, em substituição, spray vegetal)

115g de açúcar mascavado claro ou amarelo

175g de mel líquido (ou, em substituição, xarope de ácer)

1 c. de sopa de sumo de limão

2 ovos batidos

200g de farinha de trigo com fermento

20g de amêndoas laminadas (ou a gosto)

 

PREPARAÇÃO

Aquecer previamente o forno a 180ºC. Untar uma forma redonda com 20 cm de diâmetro (pode usar o tamanho que tiver em casa).

 

Colocar a manteiga, o açúcar, o mel e o sumo de limão numa caçarola e levar ao lume (médio), sem deixar ferver, até derreter e ficar cremoso.

 

Retirar a caçarola do lume e rapidamente juntar os ovos batidos, utilizando uma colher de pau.

 

Peneirar a farinha, juntar ao preparado anterior e envolver com uma colher de metal.

 

Deitar o preparado na forma e de seguida colocar as amêndoas laminadas na superfície da massa.

 

Levar ao forno, já aquecido, durante 35 a 40 minutos. Fazer o teste do palito. Deixar arrefecer na forma cerca de 15 minutos antes de desenformar e colocar numa rede até ficar frio.

 

Posteriormente, pincelar com mel morno, para glacear. Este passo é opcional.

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de courgette e nozes

por Paula, em 26.07.13

 

Bolo de courgette e nozes - fatias

 

Quando os ventos da primavera fustigam os jardins e as rosas se desfolham por terem a fragilidade do silêncio fica na terra um perfume tão inquietante que entontece o cetim das palavras.

 

 

Graça Pires, in "Caderno de Significados", 2013, Editora Lua de Marfim 

 

Bolo de courgette e nozes

 

 INGREDIENTES

(Para 2 bolos)

 

125 g de manteiga

1 dl de óleo

340 g de açúcar

2 ovos

1 c. de chá de essência de baunilha

1 dl natas

240 g de farinha integral de trigo

160 g de farinha para bolos

1/2 c. de chá de fermento em pó

1 c. de chá bicarbonato de sódio

1/2 de chá de canela

1/2 c. de chá de cravinho em pó

1/2 c. de chá de noz-moscada

340 g de courgette, em pequenos cubos

120 g de nozes, picadas  

 

PREPARAÇÃO

  1. Aquecer previamente o forno a 180º C.
  2. Bater a manteiga em creme.
  3. Misturá-la com o óleo e com o açúcar. Juntar os ovos, a baunilha e as natas. Reservar.
  4. Misturar todos os ingredientes secos e incorporá-los no preparado anterior.
  5. Adicionar a courgette e as nozes.
  6. Untar duas formas de bolo inglês e dividir o preparado por ambas.
  7. Levar ao forno por 30 a 40 minutos. Fazer o teste do palito.
  8. Desenformar sobre uma rede e deixar arrefecer completamente. Servir.

 

Fatias de bolo de courgette e nozes

 

Sendo certo que o doce nunca amargou, sabe bem suavizar o paladar dos dias com fatias de bolo caseiro, simples e delicioso.  

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Scones e um livro especial

por Paula, em 14.07.13

 

Scones d'avó 2

 

Apesar de o ano não ser o melhor para a agricultura, a boa sorte trouxe-nos boa batata, feijão, courgettes e, ao que parece, tomate coração-de-boi, que, apesar de ainda não dar para colher, já me traz a esperança de um doce caseiro e saboroso. Com scones fica maravilhoso. Ganha vida e dá alento a quem o prova ao pequeno-almoço ou num lanche tranquilo.

 

 

INGREDIENTES

 

(para 12 unidades)

 

450 g de farinha com fermento

80 g de manteiga cortada em cubos

3,10 dl de leite (mais um pouco para pincelar)

 

PREPARAÇÃO

 

  1. Aquecer o forno a 200ºC. Untar e polvilhar com um pouco de farinha um tabuleiro para ir ao forno.
  2. Peneirar a farinha para um recipiente largo.
  3. Incorporar a manteiga na farinha, com as mãos, até obter uma massa areada fina.
  4. Fazer uma cova no centro da massa e juntar 2,5 dl de leite. Misturar bem com uma espátula de metal até obter uma massa homogénea. Acrescentar mais leite, se necessário.
  5. Colocar a massa numa superfície de trabalho, levemente polvilhada com farinha e amassar um pouco (sem ser demasiado para que os scones não fiquem duros).
  6. Moldar a massa com cerca de 2 cm de espessura e colocá-los no tabuleiro, deixando um intervalo de cerca de 1 cm entre eles.
  7. Pincelar os scones com um pouco de leite e levar ao forno por 20 minutos ou até ficarem dourados.
  8. Deixar arrefecer um pouco numa rede e servir com compotas, doces ou manteiga. 

 

Scones d' avó

 

Os scones são uma delícia e tão rápidos e simples de fazer que apetece tê-los na mesa todos os dias.   

 

Esta receita foi retirada de um livro mimoso sobre cozinha caseira, a minha favorita, e que eu associo sempre a comida de conforto. É um livro de que gosto bastante e do qual já tenho retirado várias receitas que tenho feito cá em casa, sempre com sucesso. Para além das receitas, o "Cozinha da Avó", dá várias sugestões sobre economia e organização caseiras no âmbito, é claro, da culinária. No final, tem ainda um capítulo dedicado às técnicas básicas de cozinha. Trata-se de um mimo que faz parte do meu universo de livros que não dispenso. Para mim, é um livro essencial, já que não sou perita nas artes da culinária. Estou a aprender e é, acima de tudo, por isso que existe este blogue.

Livro

Créditos da fotografia: www.fnac.pt

 

 

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de caramelo e amêndoa

por Paula, em 06.06.13

 

 

O caramelo pode ser chocolate. A afirmação não é segura, claro, mas pode muito bem servir de pretexto para fugir ao tradicional bolo de chocolate.

 

Também é doce. Muito doce, aliás.Tão doce que uma fatia quase chega para satisfazer o guloso mais exigente. Ou talvez não. Ao caramelo junta-se a amêndoa para conferir uma textura crocante a cada fatia que se come com um prazer desmedido.

 

 

 INGREDIENTES

(Serve 12)

 

CARAMELO

100 g de açúcar

1 dl de leite

 

MASSA

150 g de manteiga

150 g de açúcar

3 ovos

265 g de farinha com fermento

manteiga e farinha q.b.

 

COBERTURA

250 g de açúcar

2 dl de natas batidas

1 c. de sopa de manteiga

100 g de amêndoa torrada

 

PREPARAÇÃO

  1. Ligar o forno a 180.º C. Untar a forma e polvilhar com farinha (pode utilizar gordura vegetal em spray). Reservar.
  2. Torrar a amêndoa numa frigideira antiaderente e sem que esteja em camadas para torrar de forma mais uniforme.
  3. Para o caramelo: colocar o açúcar num tacho e levar ao lume até atingir o ponto caramelo. Adicionar o leite (não pode estar muito frio) com cuidado, mexendo sempre até estar bem ligado (se ganhar grumos, pode passar pelo coador). Deixar arrefecer.
  4. Para a massa: juntar a manteiga e o açúcar e bater até obter um creme fofo e esbranquiçado. Juntar o caramelo e os ovos. Mexer bem. Peneirar a farinha e juntar ao preparado anterior mexendo bem. Deitar na forma e levar ao forno durante 45 minutos. Retirar e deixar arrefecer.
  5. Para a cobertura: levar ao lume, novamente num tacho, o açúcar até atingir o ponto caramelo. Baixar o lume e juntar cuidadosamente as natas batidas e a manteiga, mexendo sempre até estar tudo bem ligado. Retirar e juntar a amêndoa previamente torrada e envolver no preparado anterior. Deixar arrefecer e, com a ajuda de uma espátula, cobrir o bolo já empratado.

É um bolo para um dia de festa.

 

A receita foi retirada da revista Segredos de Cozinha, n.º 1249, de Setembro de 2009.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.happy}

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de beterraba

por Paula, em 19.04.13

 

 

A beterraba, rica em cálcio, magnésio, ferro, fósforo, potássio, manganésio, ácido fólico e vitamina C, desintoxica o fígado e a vesícula e constitui ainda um excelente depurativo intestinal. Caracteriza-se por se vestir num tom carmim, o que resulta da concentração de betacianina no pigmento da raiz.

 

Amada por uns e desprezada por outros, este tubérculo é conhecido na Grécia Antiga desde 300 a.C. Contudo, é apenas no século XVI que se estende a toda a Europa, trazida pelas invasões bárbaras.

 

Napoleão terá uma grande influência na implementação da beterraba na culinária, porquanto impulsionará o seu cultivo para prover uma alternativa ao açúcar de cana das Antilhas. Por isso, em 1812,  no seguimento dos estudos de Andreas Marggraf e Franz Achard, Benjamin Delessert fará a sua primeira extracção industrial de açúcar de beterraba numa fábrica situada em Passy. Embora não tenha tido o acolhimento devido na época, a verdade é que, hoje, mais de metade do açúcar refinado que existe é de beterraba.

 

Foi, pois, num doce que decidi empregar a beterraba que tinha em casa. Simples, caseiro, mimoso e delicioso é como defino este bolo.

 

 

INGREDIENTES

 

3 ovos
1 chávena e meia de chá de açúcar amarelo peneirado

 1 colher de chá de essência de baunilha
250 g de beterraba, cozida
1/2 chávena de chá de azeite ou de óleo
Sumo e raspa de uma laranja
2 chávenas de chá de farinha peneirada
2 colheres de chá de fermento para bolos
Erva doce, a gosto
 

PREPARAÇÃO

 

1. Pelar a beterraba, partir em pequenos cubos e triturar. Reservar.
2. Bater muito bem os ovos com o açúcar.

3. Adicionar a beterraba, o azeite ou óleo, a essência de baunilha, o sumo e as raspas de laranja e um pouco de erva doce.

4. Depois da mistura estar bem incorporada, adicionar a farinha peneirada e o fermento, e envolver com uma colher de pau.
5. Levar ao forno durante 40 ou 50 minutos, dependendo do forno.

6. Fazer o teste do palito. Desenformar e deixar arrefecer em cima de uma rede.

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Uma das grandes dificuldades na educação alimentar das crianças está estritamente ligada aos legumes. Creio que quase todas as crianças afirmam que não gostam de verdes. Quando se fala em espinafres, os trintões associam-nos a uma grande figura de animação da infância: o Popeye. Talvez não fosse o melhor exemplo porque fumava cachimbo e comia espinafres em conserva. Ainda assim, a mensagem passava. Ou seja, comer legumes dava força para enfrentar qualquer Brutus que aparecesse.

 

Hoje, as ferramentas para persuadir os mais pequenos a comer vegetais advêm muito da imaginação e criatividade que se tiver na cozinha. Neste sentido, este bolo é uma forma doce para alcançar esse objetivo. Apesar de se tratar de um bolo, os ingredientes são todos saudáveis e a cor apelativa é absolutamente natural.  

 

Esta receita chegou-me através de uma colega de trabalho que se vê habitualmente a braços com esta dificuldade. Acabou por ser a minha escolha para um bolo de domingo. Ainda bem que assim foi, pois adorei a cor, a textura e o sabor e, para além disso, relembrei um dos meus heróis da infância.

 

 

INGREDIENTES

3 ovos
1 chávena e meia de chá de açúcar amarelo peneirado

1 colher de chá de essência de baunilha
250 g de folhas de espinafre frescas, limpas, sem talos
 1/2 chávena de chá de azeite
2 colheres de sopa de sumo de limão
2 chávenas de chá de farinha peneirada
2 colheres de chá de fermento para bolos
 2 colheres de café de erva doce

Açúcar em pó q.b.

PREPARAÇÃO
1. Triturar as folhas de espinafre num liquidificador até adquirirem uma consistência de puré.
2. Bater muito bem os ovos com o açúcar, durante 2 a 3 minutos.

3. Adicionar o puré de espinafres, o azeite, a essência de baunilha, o sumo de limão e a erva doce.

4. Depois da mistura estar bem incorporada, adicionar a farinha peneirada e o fermento, e envolver bem com uma colher de pau.
5. Levar ao forno a 180º em forma untada com manteiga e polvilhada com farinha, durante 30 a 40 minutos.

6. Deixar arrefecer em cima de uma rede e polvilhar com açúcar em pó.

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.lisboa}

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


O meu bolo da Consoada

por Paula, em 29.12.12

 

 

O Natal, por aqui, foi marcado pela alegria possível. O ano que está prestes a findar não foi fácil. Fica marcado como um dos piores anos desta família. Já tivemos outros, é certo, mas os acontecimentos que marcaram o ano de 2012 foram inesperados e trágicos. Por isso, reunimo-nos envoltos na esperança de conseguirmos passar uma noite feliz, não tanto pelos adultos, mas pelas crianças que precisavam de um momento descontraído e alegre. Mais uma vez, a cada um coube a tarefa de cozinhar alguma coisa e até os petizes ajudaram.

 

Alguns enfeites de Natal foram feitos pela mana do meio e pela sobrinha mais velha. Reciclaram e deram nova vida a invólucros que, noutras ocasiões, teriam ido para o lixo. Inovaram, ao fazerem anjinhos, pais natal e pregadeiras que serviram para decorar as árvores de Natal e para ofertar a amigos e família. Ficaram lindos e fizeram sucesso. Ficamos à espera de mais novidades. :-)

 

 

Onde moro, ainda existe a tradição de se trocarem doces de Natal. As filhoses que vieram para a nossa mesa, foram-nos gentilmente ofertadas por uns vizinhos que têm raízes açorianas. Estavam absolutamente fantásticas. Creio que foram as melhores que comi até hoje. Em troca, ofereci um bolo igual a este. Trata-se de uma versão minha do famoso "Bolo da Consoada". Este é coberto com maçapão e geleia que, aqui, não usei. Alterei algumas quantidades e acrescentei os pinhões. Ficou muito bom e todos (vizinhos e familiares) gostaram, o que me deixou feliz.

 

INGREDIENTES

160 g de manteiga

260 g de açúcar

3 ovos

1 c. de sopa de mel

Raspa de 1 limão

1 c. de sopa de canela

160 g de farinha

1 c. de sopa de fermento

200 g de passas

100 g de frutas cristalizadas em pedaços

30 g de pinhões

Açúcar em pó q.b.

 

 

PREPARAÇÃO

  1. Ligar o forno a 180.º C.
  2. Bater a manteiga com o açúcar até obter um creme leve e fofo.
  3. Adicionar os ovos inteiros, um a um, batendo entre cada adição.
  4. Acrescentar o mel, a raspa de limão e a canela.
  5. Peneirar a farinha e o fermento e envolver no preparado anterior.
  6. Triturar as passas e adicionar, juntamente com os pinhões e a fruta cristalizada, à massa.
  7. Untar e enfarinhar uma forma redonda.
  8. Colocar a massa na forma e levar ao forno durante 30 a 45 minutos (dependendo do forno).
  9. Deixar arrefecer numa rede. Empratar e polvilhar com açúcar em pó.

 

 

É simples, delicioso e tem uma textura muito agardável. Não é fácil comer só uma fatia, mesmo na noite da Consoada em que a mesa se apresenta repleta de diversas tentações.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.painatal}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


O bolo da Cármen

por Paula, em 23.12.12

 

Há um ano atrás, recebia a notícia de que a minha amiga Mónica tinha dado à luz a pequena Cármen. Foram momentos de alegria e de angústia porque a bebé ainda ficou internada algum tempo. Felizmente, tudo correu bem e ontem tive o grande prazer de lhe oferecer o seu primeiro bolo de aniversário. Espero que seja o primeiro de muitos.

 

 

Este bolo foi feito em equipa. Desta vez, foi a minha irmã mais nova que me deu uma ajuda porque também ela tem grande apreço pela Mónica e por isso não podia deixar de participar. Assim, o bolo - um pão-de-ló de chocolate com recheio de doce de leite -  ficou a seu cargo e a decoração foi feita por mim. Espero que tenham gostado de tudo. :-) 

 

Boas Festas!

 

{#emotions_dlg.painatal}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bolo de laranja com glacé

por Paula, em 18.12.12

 

 

O Natal está à porta e a vibração com os afazeres culinários começa a tomar conta de muitos lares. É a época da família, do convívio em torno da mesa e das tradições gastronómicas em ambiente de fraternidade, amizade e amor. Para mim, é isto que significa o Natal mas, também, o que caracteriza a culinária. Não consigo pensar em cozinha dissociada da amizade e do amor, ou seja, dos afetos.

 

As laranjas, ácidas, ainda, caem diariamente da laranjeira plantada no quintal que, carregada, não aguenta todos os seus frutos. Não resisti ao seu perfume fresco e decidi adocicar o meu domingo com um bolo de laranja húmido, fofo, fresco e absolutamente delicioso.

 

 

INGREDIENTES

250 g de manteiga sem sal

250 g de açúcar

4 ovos

Tiras finas da casca de uma laranja + 1 c. de sopa de sumo

250 g de farinha fina

2 c. de chá de fermento

Manteiga e farinha para untar a forma ou gordura vegetal em spray

Para o glacé:

100 g de açúcar em pó

3 c. de sopa de sumo de laranja

PREPARAÇÃO

  1. Aquecer o forno a 175.º C.
  2. Escaldar a laranja, secá-la e ralá-la no ralador de cenouras.
  3. Bater a manteiga com o açúcar até obter um creme branco.
  4. Juntar os ovos um a um e mexer.
  5. Adicionar as tiras da casca de laranja e o sumo.
  6. Peneirar a farinha com o fermento e juntar, aos poucos, ao preparado anterior.
  7. Deitar o preparado numa forma previamente untada e levar ao forno durante 40 minutos.
  8. Fazer o teste do palito, retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer numa rede.
  9. Preparar o glacé misturando o açúcar com o sumo de laranja e deitar sobre o bolo empratado e arrefecido.

 

 

Este bolo, para além de saboroso e leve, é económico. O glacé lembra os dias frios de inverno. Pede para fazer parte da mesa de Natal.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

                       

{#emotions_dlg.painatal}

Autoria e outros dados (tags, etc)


O Barney é lilás!

por Paula, em 12.12.12

 

A semana começou com uma festinha de aniversário. A minha sobrinha fez cinco aninhos. Segundo ela, ter cinco anos é muito importante porque já não é idade para fazer disparates. Agora é crescida! :-)) Por mim, espero que continue a fazer muitos disparates e que seja muito feliz.

 

Pediu um bolo com o Barney - para quem não conhece é uma figura do canal infantil Jim Jam. Assim, na sexta feira lá fui a correr comprar a pasta para fazer o bolo e aproveitei para conseguir um autógrafo da Carina Costa, a cake designer da "Isto Faz-se" e autora do livro "Meses Doces". No caminho, recebi um telefonema da aniversariante e, ao falar das cores do bolo, eu lá disse que ia comprar cor de rosa para fazer o Barney. A resposta saiu pronta:

 

- Tiaaaaa!!!! O Báney não é cô de rosa! É lilás, tia! Lilás!!

- Upsss!! :-) Ainda bem que falei contigo...

 

Quanto à obra final, feita a quatro mãos com a ajuda da minha irmã, a critica também se fez sentir.

 

- A fralda da Baby Bop não é branca, é amarela. Mas está bem... pode ser. Ficou bonito!

 

Ufa!!! :-D

 

Optámos pelo tradicional pão-de-ló de Coimbra sem recheio. Fica sempre bem e para os pequenos é o melhor.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jó étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

 

{#emotions_dlg.beja}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D