Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Fui trabalhadora estudante. Nesse tempo era frequente ligar para a minha mãe durante um intervalo para saber o que era o jantar. Não porque a minha mãe fosse minha criada e eu mimada. Não. A razão tinha que ver com o conforto de ouvir a minha mãe falar do que tinha preparado para o jantar que, na maioria das vezes, era algo muito simples como uma sopa e algo mais. Aquele conforto era importante para mim. Principalmente nos dias de inverno em que desejava mais estar em casa do que na faculdade. Os dias eram muito longos e saber que me esperava um prato de sopa quente ajudava a ultrapassar esta angústia. Outras vezes, a minha mãe preparava-me algo tão simples como uma farinheira cozida com batatas e hortaliça. E como eu adorava.

 

Esta semana desejei resgatar estes sabores tão campestres e tão caseiros. Tinha uma alheira em casa e decidi utilizá-la na falta da farinheira. Descasquei umas batatas e arranjei uma couve lombarda. Piquei a alheira e coloquei tudo numa panela. A alheira emprestou o seu aroma e os seus sucos aos legumes, tornando tudo muito mais saboroso.

 

 

Como a alheira rebentou, o caldo ficou espesso. Não esmoreci.  Pensei aproveitá-lo para fazer uma sopa, mas não era o que me apetecia. Decidi então fazer um arroz "malandrinho". Outro prato conforto. Assim, juntei ao caldo mais um pouco de água, uma chávena de arroz carolino, mais uma pitada de sal e deixei o arroz cozer, mexendo-o com alguma frequência. Ficou simples e maravilhoso acompanhado com um ovo estrelado e umas fatias de pão escuro.

 

E assim aproveitei um simples caldo de uma confecção que aparentemente não correu bem e transformei-o numa refeição deliciosa e muito caseira.

 

Bom apetite!

 

{#emotions_dlg.beja}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Susana Gomes (Gasparzinha) a 29.11.2011 às 15:05

Também vivi essa loucura que é trabalho e faculdade ao mesmo tempo... E foi nessa altura que a Bimby cá chegou a casa, fada madrinha para me facilitar um pouco a vida. Mas aí, como agora, não há mesmo nada mais reconfortante do que a comida da mamã! :))
Bjs
Imagem de perfil

De Paula a 30.11.2011 às 08:51

De facto é uma loucura. A vida fica mais desorganizada e temos que arranjar mil e uma maneiras para conseguirmos fazer tudo. :-) Eu ainda não tenho a Bimby, mas conheço e sei que é uma excelente ajuda. Talvez para o próximo ano. Mas vou comprar dois exemplares do teu livro - um para mim e outro para oferecer a uma pessoa que a vai comprar. :-)
É tão verdade que a comida da mãe é mais reconfortante. :D
Beijinhos.
Sem imagem de perfil

De Susana Gomes (Gasparzinha) a 30.11.2011 às 09:02

Paula, espero que gostem do livro - e que o cozinhem muito! :))
Quando te renderes à Bimby diz qualquer coisa. Eu sou agente e será um prazer levar-te uma.
Bjs.
Imagem de perfil

De Paula a 30.11.2011 às 12:13

Susana, tenho a certeza de que vamos gostar e de que o iremos consultar muitas vezes. :D

Fica combinado. Quando me decidir, falarei contigo.

Beijinhos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D