Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Bolo de courgette e nozes

por Paula, em 26.07.13

 

Bolo de courgette e nozes - fatias

 

Quando os ventos da primavera fustigam os jardins e as rosas se desfolham por terem a fragilidade do silêncio fica na terra um perfume tão inquietante que entontece o cetim das palavras.

 

 

Graça Pires, in "Caderno de Significados", 2013, Editora Lua de Marfim 

 

Bolo de courgette e nozes

 

 INGREDIENTES

(Para 2 bolos)

 

125 g de manteiga

1 dl de óleo

340 g de açúcar

2 ovos

1 c. de chá de essência de baunilha

1 dl natas

240 g de farinha integral de trigo

160 g de farinha para bolos

1/2 c. de chá de fermento em pó

1 c. de chá bicarbonato de sódio

1/2 de chá de canela

1/2 c. de chá de cravinho em pó

1/2 c. de chá de noz-moscada

340 g de courgette, em pequenos cubos

120 g de nozes, picadas  

 

PREPARAÇÃO

  1. Aquecer previamente o forno a 180º C.
  2. Bater a manteiga em creme.
  3. Misturá-la com o óleo e com o açúcar. Juntar os ovos, a baunilha e as natas. Reservar.
  4. Misturar todos os ingredientes secos e incorporá-los no preparado anterior.
  5. Adicionar a courgette e as nozes.
  6. Untar duas formas de bolo inglês e dividir o preparado por ambas.
  7. Levar ao forno por 30 a 40 minutos. Fazer o teste do palito.
  8. Desenformar sobre uma rede e deixar arrefecer completamente. Servir.

 

Fatias de bolo de courgette e nozes

 

Sendo certo que o doce nunca amargou, sabe bem suavizar o paladar dos dias com fatias de bolo caseiro, simples e delicioso.  

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Das favas salteadas

por Paula, em 25.07.13

Favas-ervilhas-queijo

 

É uma verdade universalmente reconhecida que quem semeia favas as colhe de bom gosto e as degusta com maior prazer. Aquelas, trazem consigo a memória da aprendizagem degustativa, a que acompanha um indivíduo toda a vida, pois raramente se ouve alguém dizer que gosta de tudo. Se o disser, certamente que não fala a verdade. Gostar de favas não é afirmação que se ouça por aí com facilidade. A maior parte, aprendeu a gostar ou a degustar; a reconhecer a inegável textura sedosa das favas peladas que se rendem à envolvência do azeite aromatizado com chalota e alho ou a apreciá-las quando apanhadas em início de época, ainda tenras e suculentas. Com ou sem enchidos. Talvez acompanhadas com cavala de conserva em óleo, porquanto ficam irresistíveis. Mas se se procurar algo diferente, poderão prová-las com ovos benedict, regadas com o famoso molho holandês.

 

 Favas salteadas

 

INGREDIENTES

(Serve 4)

 

400 g de favas sem vagem

1 ramo de salsa (só as folhas) picado

1 chalota finamente picada

1 dente de alho picado

30 g de manteiga

Sal q.b.

1 pitada de pimenta-preta

1 pitada de noz-moscada ralada no momento

Água q.b.

 

PREPARAÇÃO

  1. Num tacho colocar água e deixar levantar fervura (se tiver uma chaleira eléctrica, fica a tarefa facilitada). Juntar as favas e deixar cozer um minuto. Escorrer e passar por água fria corrente (pode designar-se como arrefecer, assustar ou branquear).
  2. Retirar a casca às favas mais graúdas.
  3. Numa frigideira, colocar a manteiga e deixar derreter. Adicionar a chalota e o alho e saltear até ficarem translúcidos.
  4. Juntar as favas e temperar com sal a gosto, pimenta e noz-moscada.
  5. Saltear por mais dois ou três minutos e depois adicionar a salsa. Misturar bem e empratar.

 

As favas cozinhadas desta forma ficam deliciosas e constituem uma alternativa à tradicional forma de as fazer com carne e enchidos. Para além de ficarem saborosas, a textura é muito agradável. Podem servir-se simples ou como referido na introdução deste post.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Uma sopa é o prato mais importante da refeição. Alimenta. É saudável. Aconchega. Reabilita. Quer gostemos ou não, esta é uma verdade universalmente reconhecida.

 

Neste caso, não sei onde me situar enquanto degusto uma e outra colherada. O coco lembra-me os dias de férias, leves e soalheiros; o feijão transporta-me para a azáfama dos dias de trabalho, no fim dos quais, um prato bem encorpado, como quase todos os que utilizam feijão na sua preparação, traz aconchego a um estômago a ansiar por verdadeira comida de prato.

 

Talvez a devesse apelidar de verdadeira consolação, já que se trata de um caldo encorpado e aromático que consola mesmo antes de ser degustado. É absolutamente deliciosa.

 

Sopa de feijão branco

INGREDIENTES

(Serve 4)

 

1 c. de sopa de óleo de girassol

2 alhos franceses, limpos e cortados em juliana (só a parte branca)

1/2 pimento vermelho, picado

2 dentes de alho

Gengibre fresco, pelado e ralado, a gosto

1 malagueta vermelha pequena

1 c. de chá de sementes de cominho

Sal marinho e pimenta-preta moída na hora q.b.

400 g de feijão-branco cozido (1 frasco)

400 ml de leite de coco (1 lata)

Caldo de legumes quente q.b. (400 ml, aproximadamente)

1 pitada de açúcar amarelo

Coentros frescos para guarnecer

Gomos de limão para servir

 

PREPARAÇÃO

  1. Numa panela, aquecer o óleo de girassol, juntar os alhos franceses e o pimento e deixar cozinhar durante 5 a 7 minutos, mexendo com frequência.
  2. Numa trituradora, juntar os alhos, o gengibre, a malagueta, os cominhos, uma c. de chá de sal e quatro c. de sopa água ou de caldo de legumes. Triturar e misturar bem.
  3. Juntar ao preparado anterior e deixar cozinhar por mais 2 a 3 minutos.
  4. Adicionar o feijão-branco, o leite de coco, o caldo de legumes, o açúcar e uma boa pitada de pimenta-preta. Reduzir o lume e deixar apurar durante 30 minutos, mexendo com frequência.
  5. Verificar o tempero e servir com coentros frescos picados e um gomo de limão.

 

 

Esta sopa fica melhor se for feita de véspera e aquecida antes de ser servida.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Scones e um livro especial

por Paula, em 14.07.13

 

Scones d'avó 2

 

Apesar de o ano não ser o melhor para a agricultura, a boa sorte trouxe-nos boa batata, feijão, courgettes e, ao que parece, tomate coração-de-boi, que, apesar de ainda não dar para colher, já me traz a esperança de um doce caseiro e saboroso. Com scones fica maravilhoso. Ganha vida e dá alento a quem o prova ao pequeno-almoço ou num lanche tranquilo.

 

 

INGREDIENTES

 

(para 12 unidades)

 

450 g de farinha com fermento

80 g de manteiga cortada em cubos

3,10 dl de leite (mais um pouco para pincelar)

 

PREPARAÇÃO

 

  1. Aquecer o forno a 200ºC. Untar e polvilhar com um pouco de farinha um tabuleiro para ir ao forno.
  2. Peneirar a farinha para um recipiente largo.
  3. Incorporar a manteiga na farinha, com as mãos, até obter uma massa areada fina.
  4. Fazer uma cova no centro da massa e juntar 2,5 dl de leite. Misturar bem com uma espátula de metal até obter uma massa homogénea. Acrescentar mais leite, se necessário.
  5. Colocar a massa numa superfície de trabalho, levemente polvilhada com farinha e amassar um pouco (sem ser demasiado para que os scones não fiquem duros).
  6. Moldar a massa com cerca de 2 cm de espessura e colocá-los no tabuleiro, deixando um intervalo de cerca de 1 cm entre eles.
  7. Pincelar os scones com um pouco de leite e levar ao forno por 20 minutos ou até ficarem dourados.
  8. Deixar arrefecer um pouco numa rede e servir com compotas, doces ou manteiga. 

 

Scones d' avó

 

Os scones são uma delícia e tão rápidos e simples de fazer que apetece tê-los na mesa todos os dias.   

 

Esta receita foi retirada de um livro mimoso sobre cozinha caseira, a minha favorita, e que eu associo sempre a comida de conforto. É um livro de que gosto bastante e do qual já tenho retirado várias receitas que tenho feito cá em casa, sempre com sucesso. Para além das receitas, o "Cozinha da Avó", dá várias sugestões sobre economia e organização caseiras no âmbito, é claro, da culinária. No final, tem ainda um capítulo dedicado às técnicas básicas de cozinha. Trata-se de um mimo que faz parte do meu universo de livros que não dispenso. Para mim, é um livro essencial, já que não sou perita nas artes da culinária. Estou a aprender e é, acima de tudo, por isso que existe este blogue.

Livro

Créditos da fotografia: www.fnac.pt

 

 

 

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Soufflé de pescada

por Paula, em 13.07.13

 

 

Soufflé de pescada

 

Um suflê é um preparado feito à base de um creme de farinha de trigo ou amido de milho, com um ingrediente principal que pode ser peixe, legumes, chocolate, frutos, etc., e de claras de ovos que depois é levado ao forno. Pode ser doce ou salgado. O termo em francês, soufflé, significa soprar ou respirar, expressão que deriva do facto de o prato ter a aparência de ter sido soprado.

 

Já o fiz de várias maneiras. O primeiro foi de bacalhau. Ainda me lembro de quão nervosa estava, pois tudo o que envolvesse claras e forno era sinónimo, para mim, de desastre. Felizmente correu muito bem e agora, volta e meia, faço algumas vezes, até para aproveitar sobras de peixe. Aqui não foi o caso. A escolha residia entre a tradicional pescada cozida e algo mais... guloso.

 

Varas de arames na preparação de um soufflé

 

INGREDIENTES

(Serve 4)

 

1 posta generosa de pescada para cozer

50 g de manteiga

50 g de pão ralado fino

8 ovos

1 pitada de sal

  pitada de pimenta preta

 c. de chá de farinha de milho

 1 pitada de noz-moscada, ralada no momento

 

PREPARAÇÃO

  1. Cozer a pescada em água temperada com sal. Deixar arrefecer um pouco e limpar de pele e espinhas. Reservar.
  2. Aquecer o forno a 190.º C.
  3. Untar as formas (pequenas) de soufflé com manteiga e polvilhar com pão ralado. Dispô-las sobre uma bancada com a boca voltada para baixo apara soltarem o pão que estiver em excesso.
  4. Separar as gemas das claras. Adicionar uma pitada de sal às claras e batê-las até ficarem firmes, com a ajuda da batedeira de arames. De seguida, envolvê-las na farinha de milho.
  5. Juntar as gemas, a pimenta e a noz-moscada. Adicionar as lascas de pescada a este preparado. Envolver e juntar cuidadosamente  às claras com com a ajuda de uma espátula de borracha para que a mistura não perca volume.
  6. Com uma concha, distribuir pelas formas até três quartos.
  7. Forrar uma assadeira de cerâmica com papel vegetal e encher com água quente até 2 cm de altura. Disponha as formas do soufflé dentro da assadeira e leve ao forno cerca de 20 a 25 minutos. 
  8. Retirar os soufflés e servir imediatamente.

 

 

Ficam muito bons. Parece que estamos a comer as nuvens que enfeitam o céu.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Salada de frango e tomate assado1

 

Toca o telefone. Do outro lado perguntam-me se estou a ver o canal 1 da RTP. Respondo que não. Pedem-me para ligar o televisor. Estava a passar o programa da Laurinda Alves, Portugueses pelo Mundo, e desta vez a cidade escolhida era Budapeste.

 

Através do programa, revivi os meus dias por aquelas ruas. Reconheci lugares, apontamentos históricos e até me veio à memória o ambiente do livro que terminei há uns dias, do Chico Buarque, e que tem o nome da capital húngara. Apeteceu-me voltar e correr os lugares que não tive oportunidade de visitar e que fazem apenas parte do meu imaginário, como as zonas vinícolas demarcadas. No fim, sorri ao pensar na salada que comi num crepúsculo de Outono, no pátio do Castelo, de frente para a Ponte das Correntes.

 

Tomate assado 3

Tomate assado 1

 

INGREDIENTES

 (Serve 6)

 

12 filetes de frango

10 folhas de manjericão

10 folhas de hortelã-pimenta

½ c. de açúcar

6 tomates

1 ramo de espargos, arranjados

8 cogumelos

1 c. de chá de azeite

1 c. de sopa de margarina

150 g de folhas de canónigos

2 mangas, partidas aos cubos

Sal e pimenta q.b.

 

Para o molho

2 c. de chá de mel

2 c. de sopa de vinagre

2 c. de sopa de molho de soja

1 c. de chá de mostarda

Gengibre fresco, picado ou em pó q.b.

2 dentes de alho, picados

2 c. de sopa de sumo de limão

2 c. de sopa de azeite

Sal e pimenta q.b.

 

PREPARAÇÃO

  1. Preparar a marinada juntando todos os ingredientes para o molho num recipiente e mexer muito bem até obter uma consistência cremosa.
  2. Colocar o frango a marinar em 125 ml do molho durante 30 minutos. Reservar o restante molho.
  3. Pré-aquecer o forno a 160.º C.
  4. Cortar o tomate em gomos e temperar com manjericão, hortelã-pimenta, sal, pimenta, e açúcar. Levar ao forno por 5 ou 10 minutos.
  5. Numa frigideira de cerâmica, colocar o azeite e a margarina e adicionar os cogumelos arranjados e fatiados até estarem cozinhados. Retirar e reservar.
  6. Entretanto, colocar os filetes de frango e alourar no azeite, em lume forte, durante 2 ou 3 minutos. Juntar novamente os cogumelos e deixar cozinhar por mais 1 minuto.
  7. Arranjar os espargos e cozinhá-los a vapor até estarem tenros. Assustar (ou arrefecer, i.e., passar por água fria para interromper o processo de cozedura).
  8. Lavar e escorrer os canónigos e colocar numa saladeira funda. Juntar os espargos, os tomates, a manga, os cogumelos e os filetes de frango em fatias generosas. Adicionar o molho e servir.

 

 

Se existe paraíso, na ementa consta esta salada. Colorida, vibrante e absolutamente deliciosa.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Asinhas de frango com cerveja

por Paula, em 10.07.13

 

 

Asas de frango com cerveja 1

 

O calor intenso que se faz sentir pede pratos leves e descomplicados para serem apreciados, se possível, com uma bebida fresca e em boa companhia.

 

Em Espanha, chamam-lhe tapas; em Portugal, são petiscos. Certo é que, em ambos os países, estas asas de frango são uma forma de reunir com os amigos e de comer algo leve enquanto se conversa sem compromissos de tempo.   

 

Aas de frango com cerveja 2

 

INGREDIENTES

 

12 asas de frango

350 ml de cerveja (reservar 2 c. de sopa)

Sal q.b.

Pimenta q.b.

1 ½ c. de chá de tomilho seco

1 folha de louro

2 c. de sopa de azeite

 

PREPARAÇÃO

  1. Lavar as asas de frango e secá-las em papel absorvente.
  2. Preparar uma marinada com cerveja (reservando 2 c. de sopa), sal, pimenta, 1 c. de chá de tomilho seco e o louro.
  3. Cobrir as asas de frango com a marinada e reservar por cerca de 2 horas, tendo o cuidado de as voltar de vez em quando.
  4. Misturar as 2 c. de sopa de cerveja com ½ c. de chá de tomilho e o azeite. Misturar bem.
  5. Ligar o grelhador do forno.
  6. Escorrer as asas de frango e voltar a secá-las em papel absorvente. Colocá-las num tabuleiro e pincelá-las com a mistura do azeite. Levar ao grelhador do forno durante 5 minutos até ficarem bem tostadas. Virá-las e deixar grelhar por mais cinco minutos.

 

Asas de frango com cerveja 3

 

Ficam deliciosas e podem ser feitas para levar para um piquenique.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Creme de courgette e espargos

por Paula, em 04.07.13

 

Creme de courgette e espargos

 

O Verão que tardava em chegar fez a sua apresentação de rompante. Quase sem pré-aviso, o calor intenso tomou conta do País e os alertas não se fizeram esperar.

 

Hoje, a cidade de Lisboa, cidade branca para uns, menina e moça para nós, derretia sob um sol abrasador que queimava a pele dos mais incautos. Os que saíam à rua por dever ou por coragem, aproveitavam todas as sombras para se abrigarem. Nos hotéis, os turistas recusavam-se a sair das piscinas e enfrentar o calor nas lindas e castiças ruas da velha capital.

 

Tal cenário combina com sopas frias, saladas, bebidas frescas e sobremesas de gelados. É quase impensável comer uma sopa que não lembre o tradicional gaspacho. Porém, a minha sugestão vai para uma sopa, a servir quente, que fiz há umas semanas e que ficou deliciosa. Apetece dizer, citando o gastrónomo Virgílio Nogueiro Gomes, autor do livro "Transmontanices - Causas de Comer", cujas crónicas aliam, em parte, a informação à tradição: comam sopa pela vossa saúde! Quente ou fria, acrescento.

 

Rosmaninho

 

 

 

INGREDIENTES

(Serve 4)

 

500 g de courgettes (pequenas), fatiadas

100 g de espargos verdes, arranjados

1 batata-doce

1 c. de sopa de azeite

1 chalota, picada

1 dente de alho, picado

1 c. de café de gengibre em pó

Sal e pimenta q.b.

Água ou caldo de legumes q.b.

100 grs de bacon

 

 

 

PREPARAÇÃO

 

  1. Levar a cebola e o alho a refogar ligeiramente  numa panela e juntar o gengibre em pó. Deixar refogar por mais 1 minuto. Adicionar os legumes e cobrir imediatamente com água ou caldo de legumes. Temperar com sal e pimenta a gosto.
  2. Cortar o bacon em fatias finas e depois em pequenos cubos e levar a fritar na própria gordura utilizando uma frigideira de cerâmica.
  3. Depois de os legumes estarem cozidos, triturar com a ajuda da varinha mágica, até obter uma consistência cremosa.
  4. Servir e finalizar com pedaços de bacon frito.

 

Bom apetite!

Bon appétit!

Jo étvágyat!

Que bos faga bun porbeito!

{#emotions_dlg.default}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D