Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Borrego estufado com figos

por Paula, em 13.08.11

 

A combinação de carne com fruta nunca foi muito apelativa para mim. Todavia, não recuso experimentar pratos que contenham alguns ingredientes de que gosto. É o caso dos figos e da carne de borrego. Esta junção não está sozinha. Com ela temos ainda as especiarias como a canela e o anis.

 

Foi para experimentar a harmonia destes sabores e, ainda, para dar uso a umas estrelas de anis que comprei no Martim Moniz que decidi deitar mãos ao trabalho e fazer esta receita retirada, mais uma vez, do livro "Frutas & Sobremesas", da Reader's Digest. E, confesso, que gostei da combinação agridoce, do perfume que ficou na minha cozinha e das cores deste prato.

 

 

  

 

Ingredientes:

(Serve 4 pessoas)

 

2 colheres de sopa de azeite

2 dentes de alho grandes esmagados

340 g de cebolas em rodelas

550 g de perna de borrego desossada, sem gordura, e cortada em cubos com 5 cm

150g de figos secos

1 1/2 colheres de sopa de gengibre fresco ralado

1 pau de canela partido ao meio

2 estrelas de anis

340 g de cenouras picadas

340 g courgettes picadas

molho de chili q.b.

sal e pimenta

uma mão-cheia de coentros e de salsa finamente picados

 

 

Preparação:

Num tacho grande de fundo espesso, aqueça o azeite em lume médio. Junte o alho e salteie 1 minuto, mexendo com frequência. Junte as cebolas e envolva bem no azeite. Baixe o lume e tape o tacho. Deixe apurar durante 20 minutos, ou até as cebolas estarem macias e adocicadas. Neste processo, junte um pouco de água, se necessário, ou tape com papel de cera humedecido (eu prefiro a água).

 

Junte o borrego e regue com 1,2 l de água, ou a suficiente para cobrir a carne e as cebolas. Aumente o lume e deixe levantar fervura. Retire a espuma que se vai formando à superfície. Baixe o lume e adicione os figos, o gengibre, a canela e as estrelas de anis. Tape e deixe fervilhar 1 hora ou até a carne estar bem tenra.

 

Quando o borrego estiver tenro, retire-o do tacho com uma escumadeira e reserve. Deite fora as estrelas de anis e o pau de canela. Transfira metade do líquido, das cebolas e dos figos para um copo de batidos e triture até estar homogéneo.

 

Volte a colocar o borrego no tacho e junte as cenouras. Quando levantar fervura, baixe o lume e deixe fervilhar durante 10 minutos.

 

Junte as courgettes e deixe fervilhar mais 5 minutos ou até os legumes estarem macios, mas firmes. Deixe apurar em lume brando. Tape o tacho se não quiser que o molho engrosse, ou deixe-o destapado, se quiser reduzir o molho).

 

Prove e tempere a gosto com o molho de chili, sal  e pimenta e finalize salpicando com os coentros e a salsa picados. Sirva de imediato com arroz de açafrão - que torna o prato mais colorido e agradável aos olhos - ou com arroz branco.

 

Este borrego vale o trabalho que dá e os ingredientes que exige. Fica delicioso e, contudo, harmonioso. Sobressai o sabor agridoce que os figos lhe conferem e o anis que são cortados pelo fresco da salsa e dos coentros. Se não quiser um sabor muito acentuado a anis, coloque apenas uma estrela. Acho que esta receita é ideal para um jantar temático subordinado ao tema das arábias.

 

Bom apetite!

{#emotions_dlg.beja}

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Curiosidades # 3

por Paula, em 12.08.11

 

 

Quando as cebolas são em quantidade superior à que conseguimos consumir no imediato, o melhor é escolhê-las, parti-las em metades, quartos, meias luas ou picá-las e congelar. Desta forma, podemos facilmente utilizá-las em sopas, estufados, guisados e assados. Para além de não se estragar, ganhamos tempo na cozinha, principalmente nos dias de trabalho.

 

As cebolas podem ficar no congelador até 12 meses. Uma das regras da conservação dos alimentos é a de que quanto mais gordura têm os alimentos, menos tempo se conservam. Assim, tratando-se de um legume, podemos utilizar o tempo máximo recomendado para a congelação. Utilize sacos de plástico bem estanques e limpos. Se possível, recicle.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

e

 

As temperaturas mais quentes convidam a almoços e jantares no terraço que combinam com comidas mais ligeiras, mas deliciosas, a saber a Verão. E as manteigas aromáticas são, para mim, um retrato do Verão. Talvez porque as utilizo com mais frequência nos grelhados por esta altura. Ou talvez porque me lembrem a infância, período em que, nesta estação, corria descalça pela rua com uma peça de fruta na mão e o sempre habitual pão com manteiga na outra. A D. Rosa, a minha ama, afligia-se sempre que me via à volta do saco do pão. Certa vez, comi dez carcaças com duas canecas de leite. Eu fiquei feliz; a D. Rosa ficou traumatizada. Era também nas férias do Verão que, perto da meia noite, o meu pai ia à padaria buscar pão quente que pequenos e graúdos comiam junto a uma fonte entre risos de felicidade por estarmos acordados até tão tarde e de prazer por comer aquele pão acabado de fazer, barrado com manteiga que se derretia antes de tocar no miolo do pão. Sabia melhor do que qualquer bolo. Deve ser este apego à infância que me leva ainda a gostar tanto de manteiga.

 

Estas costeletas são fáceis de fazer, bem como a manteiga aromática que, para além de simples, tem ainda a vantagem de poder guardar-se no congelador por algum tempo e de poder ser aplicada noutros pratos como, por exemplo, numa massa.

 

 

Ingredientes:

(Serve duas pessoas)

 

30 g de manteiga

1 colher de sopa de óleo de girassol

2 costeletas do lombo à temperatura ambiente

Sal e pimenta q.b.

 

Para a manteiga:

50 g de manteiga à temperatura ambiente

1 1/2 de chá de salsa picada muito finamente

3 gotas de limão

Sal e pimenta-de-caiena

 

 

Preparação:

Comece por fazer a manteiga com alguma antecedência, pelo menos duas horas.

 

Bata a manteiga muito bem até ficar lisa. Pode fazê-lo numa tigela ou pode usar a batedeira ou a trituradora. Adicione a salsa, o sumo de limão, o sal e a pimenta-de-caiena e continue a mexer até estar tudo bem misturado.

 

Com a ajuda de uma colher, coloque a manteiga num pedaço de papel vegetal e faça um rolo de 2,5 cm de diâmetro. Coloque-o no frigorífico e deixe-o solidificar durante aproximadamente duas horas.

 

Para preparar as costeletas, derreta a manteiga, juntamente com o óleo, em lume muito forte. Frite as costeletas de ambos os lados durante um minuto. Reduza o lume, tempere as costeletas com sal e pimenta q.b. e continue a fritá-las a gosto. Se as quiser mal passadas deixe fritar por mais 2 ou 3 minutos; se as quiser bem passadas, deixe fritar por 6 a 8 minutos por lado e 4 minutos para ficarem no ponto. Os tempos são importantes.

 

Coloque então as costeletas em pratos aquecidos e regue-as com o molho da fritura. Corte três fatias finas de manteiga de salsa para cada costeleta e sirva imediatamente.

 

Estas costeletas ficam realmente deliciosas e o aroma é muito agradável. Pode servi-las com batata nova cozida com casca, com salada ou com arroz.

 

Esta receita foi inspirada numa que consta do livro de "Cozinha Francesa - Mais de Cem Receitas Irresistíveis", da Parragon Editora. Trata-se de um livro bastante acessível e com receitas maravilhosas, incluindo as mais conhecidas, como o famoso "Boeuf Bourguignon" que Julia Chid eternizou.

 

Bom apetite ou bon appétit!

 

{#emotions_dlg.beja}

Autoria e outros dados (tags, etc)


Salada de citrinos e espinafres

por Paula, em 10.08.11

 

Há uns dias encontrei, no coração de Lisboa, uma livraria muito agradável. Quando digo agradável, não me refiro apenas ao espaço, mas também ao atendimento, à exposição dos livros e à sua oferta. Espreitei todas as prateleiras até que encontrei, num espaço adjacente dedicado a exposições, uma fileira de livros em segunda mão, uns mais estimados que outros, sobre os mais diversos temas. Alguns eram muito antigos. Sorri. Adoro estes encontros inesperados com livros que nos contam estórias e que nos dão a conhecer, também, um pouco de história.

 

A minha atenção prendeu-se num molho de livros de culinária, cuidadosamente arrumados. Voltei a sorrir. Ali estava um pequeno tesouro. E agora? Desfolhei demoradamente alguns, vi capas, vi índices, até me deparar com um pequeno livro de receitas de "cozinha saudável" sobre frutas e sobremesas. "Eis o que me faltava", pensei. Estudei-o. Quando vi o preço, a decisão de o comprar firmou-se.

 

Saí da livraria encantada com o livro "Fruta & Sobremesas", da Selecções do Reader's Digest, e com uma receita no pensamento para fazer: salada de citrinos e espinafres. 

 

 

 

Ingredientes:

(Serve 4 pessoas)

1 toranja ruby ou rosa

1 laranja grande

230g de folhas de espinafre

250g de polpa de meloa ou de melão cortada em pedaços

2 cebolos (só a parte branca) em rodelas muito finas

60g de fatias muito finas de presunto sem gordura esfarrapadas

 

Para o molho:

1 colher de sopa de vinagre balsâmico (ou de fruta)

1 colher de sopa de azeite virgem extra

1 colher de sopa de natas

1/2 colher de chá de mel

sal e pimenta a gosto

 

Preparação:

Comece por preparar o molho. Coloque o vinagre, o azeite, as natas e o mel num frasco com tampa de enroscar. Tape e agite. Reserve.

 

Com um descascador, corte tiras finas de casca de laranja e reserve.

 

Trabalhando sobre uma tigela para aparar o sumo, descasque a toranja e a laranja, tendo o cuidado de retirar as partes brancas e separando os gomos de entre as membranas. Corte em pedaços e reserve.

 

Adicione uma colher de sopa de mistura dos sumos de laranja e de toranja ao molho e volte a agitar para misturar. Tempere com sal e pimenta. Prove e, se necessário, adicione mais sumo.

 

Coloque os espinafres numa tigela de servir, junte os gomos de laranja e de toranja, a meloa ou o melão e os cebolos (não usei) e misture. Volte a agitar o molho. Verta sobre a salada e envolva.

 

Por fim, disponha o presunto e as tiras da laranja sobre a salada e sirva de imediato.

 

 

Esta salada é rica em vitamina C, proveniente dos citrinos e dos espinafres, sendo que a toranja é ainda rica em betacarotenos (antioxidantes que são transformados em vitamina A). Os espinafres não devem ser cortados para que não percam aquela vitamina.

 

O contraste da acidez dos citrinos com o molho adocicado pelo mel, o presunto e a  meloa resultam agradavelmente bem. O presunto pode ser substituído por queijo Feta, escorrido e esfarelado. Isto permite-nos transformar esta salada num prato vegetariano. É para repetir, seguramente.

 

Bom apetite!

{#emotions_dlg.beja}

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D